05 julho 2011

Caro José António Saraiva,

coisasConfesso que nunca tinha ouvido falar em si e, a julgar pelas barbaridades que escreveu no semanário do qual é director dono, vejo que não perdi grande coisa.  Gostaria de aproveitar esta oportunidade para o informar que, apesar de me considerar parte da classe média, nenhuma das suas soluções me vai permitir poupar, muito pelo contrário. Então vejamos:

- nas raras vezes em que vou a algum restaurante e sobra comida, peço para levar os restos para casa (sei também que há algo de errado na ideia de que a comida que vai para trás nos restaurantes tem como destino o lixo mas vou deixá-lo descobrir sozinho);

- água cá em casa geralmente é de marca branca, um tanto mais barata que qualquer umas das marcas mencionadas por si;

- fatos Dielmar (600€ em saldos)? Eu não uso fatos de homem, mas quem os usa cá em casa compra-os na Zara e, quando apetece esbanjar, na Giovanni Galli,

- 80 contos (400€) por um par de sapatos?! Só os trouxe porque tinha dinheiro para isso. E também só não os devolveu no dia seguinte porque não quis, ou talvez (e isto sou só eu a supor, até porque acredito que seja uma possibilidade remota) o dinheiro não lhe faça assim tanta falta;

- as férias em Portugal são baratas? Realmente são, mas não para os portugueses. O senhor vai de férias de carro? Com os preços actuais do gasóleo e portagens?

- Audi 4 e Mercedes classe C?! Isso é um downgrade? Eu conduzo um Rover com mais de 10 anos caro senhor!

- Evitar ligar o ar condicionado... Tem razão devemos evitar, que tal começar pela redacção do "Sol"?

- realmente ando mal habituada, pois de todas as vezes em que entrei num avião não havia 1ª classe nem executiva, chama-se a isso viajar em companhias low-cost;

-  desodorizantes e cremes são um luxo para si? Devemos então andar por aí mal-cheirosos e esfoladinhos?

- a última vez que cortei o cabelo foi em dezembro de 2010, custou-me 9€, vou voltar a esbanjar novamente este sábado porque tenho um evento no domingo e assim mato 2 coelhos com uma só cajadada. Depilação, manicure e pedicure faço eu própria, aposto que a sua esposa não faz o mesmo.


Diga-me uma coisa, se deve a classe média ser castigada como propõe V. Exa quem restará para escoar a melhorada produção das empresas?  E se todos devemos reduzir o consumo de bens supérfulos e inúteis, que tal começar por deixar de comprar o "Sol" optando por jornais gratuitos?

Por tudo isto, caro senhor, eu retirei duas conclusões do seu texto: ou se enganou  e onde se lê "classe média" deve ler-se "classe alta", ou não conhece nada da realidade do país.


400€ por uns sapatos e preocupa-se com  o açúcar do café?!

2 comentários:

Fashionista disse...

Concordo!

Malas e Sapatitos disse...

Completamente fora da realidade este senhor né! É que mesmo que mudemos de classe média para classe alta no texto, ele continua a dizer para não usar desodorizante!